Mercedes-AMG Petronas Motorsport volta às corridas com um propósito renovado

Os Silver Arrows vão utilizar um veículo negro para a temporada 2020; 
Uma demonstração anti-racismo e discriminação em todas as formas; 
Compromisso público de melhorar ainda mais a diversidade da equipa Mercedes-AMG Petronas Motorsport e do desporto automóvel;
 

Quando a Fórmula 1 voltar a correr neste fim de semana, na Áustria, fará isso num mundo que mudou profundamente desde a última vez que as equipas se reuniram em Melbourne, no início de março. A resposta unida deste desporto à pandemia global de Covid-19, na forma de Projeto Pitlane, mostrou a melhor capacidade que a Fórmula 1 tem a oferecer.

No entanto, nas últimas cinco semanas, o movimento Black Lives Matter mostrou profundamente o quanto precisamos de novas medidas e ações na luta contra o racismo e todas as formas de discriminação. Como equipa, a Mercedes-AMG Petronas dedicou-se nas últimas semanas a ouvir as perspectivas do seu staff, para aprender e refletir sobre a equipa de hoje e do futuro. Nesta Organização, apenas 3% da força de trabalho se identificam como pertencentes a grupos étnicos minoritários e apenas 12% dos funcionários são mulheres. Essa falta de diversidade mostra que é necessário encontrar novas abordagens para atrair talentos de muitas áreas da sociedade que atualmente não são alcançados. A Mercedes-AMG Petronas Motorsport será mais forte se conseguir atrair talentos da maior variedade possível e compromete-se a alcançar esse objetivo através de várias ações.

Para 2020, optou-se por uma viatura de chassis negro, como uma promessa pública de melhorar a diversidade da equipa - e uma declaração clara de que a empresa é contra o racismo e todas as formas de discriminação. A chamada para 'End Racism' será exibida no halo de ambos os veículos, e a iniciativa unida de F1 #WeRaceAsOne será apresentada nos espelhos do W11.

Antes do final desta temporada e Fórmula 1, será anunciado um programa de Diversidade e Inclusão que incluirá, mas não se limitará a: continuar a escutar os membros da equipa; análise minuciosa dos processos de recrutamento e desenvolvimento; colaboração com as principais partes interessadas do desporto para melhorar a acessibilidade à Fórmula 1 e iniciativas educacionais direcionadas para incentivar e apoiar pessoas talentosas de origens sub-representadas que desejam alcançar a F1.

No coração do compromisso da Marca com o racismo e a discriminação estão os pilotos e, mais proeminentemente, o seis vezes campeão mundial Lewis Hamilton. Lewis anunciou recentemente a formação da Comissão Hamilton, uma parceria de pesquisa com a Royal Academy of Engineering dedicada a explorar como o automobilismo pode ser usado para envolver mais jovens de origens negras e, finalmente, empregá-los nas equipas de F1 ou em outros setores de engenharia. Lewis e Valtteri vão correr de macacão preto para a temporada 2020, e vão adaptar também o design dos seus capacetes.

Podem consultar o novo visual em media.mercedesamgf1.com.


Notícia anterior
Próxima Notícia