Recarregar o futuro

A mobilidade do futuro é movida a rodas eléctricas. Uma boa infraestrutura de carregamento é crucial para a popularização dos automóveis eléctricos. Assim como saber qual o tipo de carregamento mais adequado em função das características do veículo e do momento e local de carregamento. O carregamento de veículos eléctricos pode ser confuso, mas é mais fácil do que parece quando se familiariza com alguns conceitos. Com este objetivo em mente, um especialista da SEAT explica em pormenor os diferentes modos de carregamento do futuro.

Uma questão de voltagem.
"O carregamento da bateria dos veículos eléctricos e híbridos depende principalmente de dois fatores: a capacidade da bateria do veículo e a potência do carregador disponível, o que influencia os diferentes tempos de carregamento", explica Ramón Calderón, responsável pelas Relações Institucionais de e-Mobilidade da SEAT S.A. A capacidade da bateria é a quantidade de energia elétrica que é capaz de armazenar, enquanto a potência é a quantidade que o carregador pode fornecer ao veículo. "Os condutores de veículos elétricos podem escolher entre vários modos de carregamento: tipo 2 (carregamento lento), tipo 3 (carregamento semi-rápido) e tipo 4 (carregamento super-rápido ou ultrarrápido). Dependendo da capacidade da bateria do seu carro e da potência do carregador e do cabo de ligação, demorará mais ou menos tempo a carregá-lo", explica Ramón.

Overnight

Elétrico ou híbrido: é essencial conhecer os diferentes modos de carregamento


Se tiver um automóvel plug-in hybrid ou um pequeno veículo elétrico em casa, pode deixá-lo a carregar durante a noite na garagem com um carregador lento de tipo 2. Com esta opção, o veículo é ligado à rede elétrica através de um adaptador que se liga a uma tomada doméstica (tipo Schuko) para garantir um carregamento seguro. Neste modo, (para uma potência de 3,6 kW) a bateria de um híbrido demora entre 3 e 4 horas a carregar de 0 a 100% e uma média de 16 horas num elétrico, dependendo da potência, do cabo e da capacidade da bateria. No entanto, no caso de um veículo 100% elétrico ou plug-in hybrid de alcance consideravelmente longo, como o SEAT Tarraco e-HYBRID, a opção mais conveniente é o modo de carregamento semi-rápido tipo 3. Para isso, é necessário um dispositivo de carregamento de parede, popularmente conhecido como wallbox, que está equipado com vários sistemas de proteção necessários para a segurança da instalação elétrica e do veículo. "Devido à sua segurança, fiabilidade e rapidez, a utilização do modo 3 está a prevalecer sobre o modo 2, à medida que a potência de carregamento e a capacidade das baterias dos veículos elétricos aumentam", afirma Ramón. Este modo permite-lhe utilizar potências mais elevadas em casa e, ao mesmo tempo, otimizar os tempos de carregamento. Um híbrido como o CUPRA Formentor seria carregado em menos de 3 horas e um veículo 100% elétrico em menos de 10 horas, em média, dependendo da potência e das características da bateria.

Notícia anterior
Próxima Notícia